Lesões do Manguito Rotador

O Manguito Rotador é formado por quatro músculos,  Supra-espinal, Subescapular, Infra-espinal e Redondo
Menor. As lesões podem ser de origem traumática, porém na maioria das vezes são  micro-traumáticas ou degenerativas.

Didaticamente as lesões dividem-se em três fases clínicas conforme faixa etária mais acometida:

Fase 1 – Apresenta-se como dor aguda após esforço exacerbado no trabalho ou no esporte, em pessoas menores de 25  anos.  É um quadro reversível, apenas de tratamento conservador. Um erro frequente é o diagnóstico de ruptura completa dos tendões, levando equivocadamente a indicação de tratamento cirúrgico.

Fase 2 – Acomete pessoas entre 25 e 40 anos,  especialmente em atletas ou após longos períodos de esforço repetitivo.  O quadro de tendinite poderá estar associado a ruptura parcial dos tendões. O tratamento poderá ser conservador ou cirúrgico dependendo de cada caso.

Fase 3 – Fr equentementeacima dos 40 anos, apresentando ruptura completa de um ou mais tendões.O tratamento cirúrgico, na maioria das vezes é a opção terapêutica.

Diagnóstico

A patologia do manguito rotador pode desenvolver-se como tendinite ou ruptura. Clinicamente deve-se distinguir sua fase evolutiva e com o emprego adequado de testes clínicos, deve-se diferenciar a integridade ou não dos tendões.

RX – Obtido nas incidências Ântero-posterior, Perfil da escápula e axilar, auxiliam na visualização das estruturas ósseas. Nas fases 1 e 2 não evidenciam sinais específicos, mas sim alterações relacionadas a fatores predisponentes ou agravantes. A existência de esporão subacromial não implica no diagnóstico de síndrome do impacto, muito menos justifica a necessidade de tratamento cirúrgico.

Ecografia (Ultrassom) – É um método não invasivo, porém é operador-dependente, ou seja, necessita de um examinador de grande experiência.

Ressonância Magnética – É o melhor exame para avaliar a integridade do manguito rotador e as lesões associadas, apresentando sensibilidade e especificidade acima de 90%.

Classificação

As lesões podem ser classificadas conforme a duração (aguda ou crônica),
a extensão (parcial ou completa) e
a etiologia (traumática ou degenerativa).

Tratamento

A etiologia determina o tratamento, sendo o objetivo a eliminação da dor e o retorno ao trabalho ou o esporte.
Tratamento conservador
Atividades que prejudicam ou agravam os sintomas devem ser evitadas. O uso de antinfalmatorios e infiltrações devem ser de uso criterioso.
A reabilitação com fisioterapia e hidroterapia é essencial no tratamento.

Tratamento cirúrgico
A cirurgia está indicada quando houver falha do tratamento conservador ou lesões completas do manguito rotador.
As opções de tratamento cirúrgico são: aberta, artroscópica e artroscópica associada a mini-open (pequena incisão)

A cirurgia artroscópica mostrou resultados superiores a aberta em alguns aspectos, porém nas medidas de força, os resultados são semelhantes.